Início Fotos Orkut TV Blog Fale Conosco Cadastre-se

domingo, 8 de julho de 2012

Polêmica : Pais usam a droga da obediência para 'domar' os filhos.



O "castigo" e a conversa entre pais e filhos estão sendo substituídos por uma pílula: a "droga da obediência". Aprovado pela Anvisa para tratar o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), o metilfenidato (Ritalina e Concerte) está sendo usado de forma indiscriminada para ‘domar’ crianças levadas, alertam médicos. Em quatro anos, o uso da droga cresceu 70,44% no País. Entre abril de 2011 e maio, esse mercado faturou R$ 101,7 milhões. 

- "É inadmissível. A criança que não se concentra e não se comporta como o adulto gostaria está sendo diagnosticada como se tivesse um transtorno e acaba tomando um remédio que a deixa quieta, calada”, alerta a médica Maria Aparecida Moyses, professora da disciplina de Pediatria na Escola Médica da Unicamp. 

- “O medicamento está sendo usado de forma exagerada para controlar crianças. A droga deixa apática aquela que é agitada e não presta atenção. Fazer isso é quebrar a essência da criança, que é brincar, agitar, questionar”, critica o coordenador estadual de Políticas sobre Drogas, Luiz Alberto Chaves de Oliveira. “Estudos apontam que usuários de metilfenidato têm risco até 50% maior de se tornarem usuários de drogas”, completa Luiz, que recomenda a busca de segunda opinião em caso de diagnósticos de TDAH. Pediatra, neuropediatra e psiquiatra são os profissionais mais indicados. 



A médica Maria Aparecida questiona ainda , a forma de diagnóstico. - “É um questionário do qual ninguém escapa. A criança que joga videogame por horas, mas não se concentra na escola, não tem dificuldade de concentração. A aula pode ser desinteressante”, alega. 

Membro do Comitê de Neurologia da Sociedade de Pediatria do Rio, Milton Genes afirma que o TDAH afeta entre 3% e 6% das pessoas, mas que nem todos precisam de medicação: -“O importante é um diagnóstico bem feito. O tratamento muda a vida dos que têm o transtorno”.

O metilfenidato já é uma das drogas mais vendidas no País. - “A Anvisa pesquisa porque o consumo é crescente. A orientação é que só pessoas com diagnóstico correto usem e não para melhorar no estudo ou trabalho”, diz Giselle Silva Calado, gerente de Farmacovigilância da Anvisa. 

 Segundo ela, as reações comuns ao uso abusivo da droga são nervosismo, insônia e perda do apetite: -“Podem haver reações sérias, como febre alta, dificuldade de falar, batimento cardíaco acelerado, espasmos musculares, garganta inflamada, alucinações, convulsões, bolhas e manchas na pele”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário