Início Fotos Orkut TV Blog Fale Conosco Cadastre-se

sábado, 30 de junho de 2012

PT e PSB rompem aliança para as eleições de Belo Horizonte.


Após rachar em Recife e Fortaleza, PT e PSB também vão ser rivais na campanha pela Prefeitura de Belo Horizonte, onde estão juntos há quase quatro anos na administração de Marcio Lacerda (PSB). Na noite deste sábado, a Executiva municipal petista decidiu romper a aliança, que já tinha até vice do PT escolhido, para o pleito deste ano. 

A decisão ocorreu depois de o PSB resolver, em convenção na manhã deste sábado, não formar chapa com o PT para vereadores. Ala petista defensora da reedição da aliança com Lacerda não descarta intervenção da Executiva nacional. Minutos antes da convenção petista, o PSB encaminhou à sede do PT-BH carta em que informou sobre a decisão de não se coligar com o partido para a Câmara Municipal. 

A composição era prevista em resolução do PT como item fundamental para se aliar novamente a Lacerda. Em votação, a Executiva municipal petista decidiu, por 11 a 4, abandonar a aliança com o PSB e lançar candidatura própria. Em seguida, em nova votação, o vice-prefeito Roberto Carvalho, brigado com Lacerda desde o início da administração, foi escolhido como o candidato do partido. A ala petista defensora da aliança com Lacerda não apareceu na convenção do próprio partido, mas participou do encontro do PSB horas antes. 

O ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, o deputado federal Miguel Corrêa, que havia sido escolhido como vice de Lacerda duas semanas antes, e o deputado federal Reginaldo Lopes, presidente do PT-MG, discursaram a favor de Lacerda. A decisão do PSB-BH de não se coligar com o PT para a Câmara Municipal só foi anunciada no fim da tarde, horas depois da convenção do próprio PSB. A tarde foi de pressão tanto do PT quanto do PSDB, que ameaçavam pular fora da aliança. 

Nos bastidores, a decisão do PSB teria sido em função da pressão do senador Aécio Neves (PSDB). Ele disse que o PSDB estaria fora da aliança caso o PSB aceitasse a exigência petista. Junto com o tucano, saíram outros partidos nanicos. - Foi o PSB que decidiu pelo rompimento com o PT ao não fazer a coligação proporcional. Não foi uma decisão petista. – argumentou Roberto Carvalho, que sempre defendeu a candidatura própria.

Lacerda tentou até o final manter o PT na aliança. Pesa a força petista nas áreas mais pobres da cidade. Integrantes do PSB e da ala do PT defensora da aliança com Lacerda não atenderam o telefone depois da decisão da Executiva municipal. Apesar de considerarem “improvável”, a cúpula do PT-BH não descartaram uma interferência da Executiva nacional. Os partidos têm até quinta-feira para registrar chapas para as eleições 2012. 

O resultado das convenções é considerado como "uma vitória" de Aécio, que, além de colaborar com o rompimento entre PT e PSB, tem o apoio dos outros três candidatos a prefeito em BH. Leonardo Quintão (PMDB), Délio Malheiros (PV) e Eros Biondini já anunciaram que vão marchar com o tucano numa eventual candidatura à Presidência em 2014.

Um comentário:

  1. "Não é um pensamento da Juventude do PT-Caxias, porque a direção da JPT-Caxias irá se reunir para discutir sobre as eleições 2012 na próxima terça-feira (03JUL2012), mas para mim, essa imposição da Direção Nacional do PT em recuar com a nossa Candidatura Própria (Dalva Lazaroni) para apoiar o Alexandre Cardoso, não passa de uma verdadeira ingratidão para com os militantes do PT-Caxias, mas tenho a certeza que quem vai fazer esse julgamento é o povo, em especial a juventude de Duque de Caxias no dia 07 de outubro de 2012.
    Na terça-feira, vou dizer que não vejo a necessidade de um racha, mas devemos fazer uma campanha eleitoral representando os jovens, sem fazer nenhum tipo de guerra eleitoral, tampouco uma procissão de flores. Temos é que sair às ruas e mostrar que a JPT-Caxias tem projeto, programa e propostas para juventude duquecaxiense.
    Quanto essa aliança imposta com o PSB-Caxias, só posso dizer que espoliaram o direito da maioria dos militantes do Partido dos Trabalhadores de Duque de Caxias".

    Um abraço JPTISTA,

    Alessandro Mendes - Membro do Conselho Fiscal do PT-Caxias, Coordenador de Movimentos Populares da JPT-RJ e Assessor Político da JPT-Caxias.

    ResponderExcluir