Início Fotos Orkut TV Blog Fale Conosco Cadastre-se

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Pai de Santo preso por extorsão não tem registro na Federação Brasileira de Umbanda.


Agentes da 14ª DP (Leblon) investigam a possível participação de um suposto policial militar na quadrilha de Edmar Santos de Araújo, o "pai de santo Bruno da Pombagira", de 23 anos, preso quarta-feira sob acusação de extorsão e formação de quadrilha. 

O suposto "Pai Bruno de Pombagira", ainda  não tem registro na Federação Brasileira de Umbanda (FBU). De acordo com o presidente da associação, Manuel Alves de Souza, o ‘religioso’ não realizava um "trabalho" com finalidade umbandista.

Para ele, as ‘amarrações’ feitas por Edmar não eram verdadeiras e tinham como único objetivo enganar as pessoas que o procuravam. -“Um trabalho de 'magia negra', que é o que esse homem diz que fazia, não tem qualquer relação com a umbanda. Para ele se tornar um verdadeiro pai de santo, é preciso ter ética e ser muito bem espiritualizado. Esse homem não tem nenhum registro na federação”, afirmou Manuel Alves de Souza, da FBU. 

Segundo os investigadores, o suspeito, ainda não identificado, seria segurança do religioso. Ele também acompanharia as vítimas na hora de sacar o dinheiro, afirmando que, com sua presença, nenhum mal iria acontecer. Nesta quinta-feira, quatro pessoas foram até a 14ª DP para contar que foram ludibriadas por Edmar. 

A delegada Flávia Monteiro afirmou que a participação dele no esquema foi revelada ontem, após uma mulher, de 24 anos, comparecer à delegacia. “Essa vítima disse que o suposto policial não a ameaçou, apenas levou a jovem até o caixa para sacar o dinheiro. No entanto, no depoimento, ela diz que o suspeito mostrou uma arma parecida com pistola”. 

Além do suposto PM, quem também está na mira da polícia é a mãe do pai de santo, já que um motorista, de 37, vítima de Edmar, mostrou comprovantes de depósito bancário na conta dela. “É outro indício de que há no mínimo 10 pessoas no grupo de extorsão”, frisou a delegada Flavia Monteiro. 

Bruno e o motoboy Alex Alberto de Souza, que também foi capturado, estão na Penitenciária Alfredo Tranjan, Bangu 2, na Zona Oeste. Uma das quatro vítimas que procuraram a delegacia ontem foi uma vigilante, 24, que gastou R$ 1.100 com a promessa de que reataria relacionamento com a namorada. 

- “Uma tal de Mãe Luciana exigiu R$ 77 e pediu para eu ligar depois. Liguei, e eles já me pediram R$ 270 e disseram que eu precisava ir num terreiro em Nova Iguaçu. Fui e lá encontrei homem que se identificou como PM e segurança do Pai Bruno. Ele me mostrou pistola e disse que eu estava segura ali”. No dia seguinte, ela conta que Pai Bruno ligou e afirmou que ia matá-la: -“Ele disse que sabia onde eu morava”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário