Início Fotos Orkut TV Blog Fale Conosco Cadastre-se

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Divisão do Pará é rejeitada por 60% , diz pesquisa Datafolha.



A rejeição dos eleitores paraenses à proposta de divisão do Estado se manteve maior que 60%. De acordo com pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira, 65% são contra a criação do Carajás (sudeste do Pará) e 64% são contra a criação do Tapajós (oeste).

Os números favoráveis à união do Pará oscilaram para cima em relação à última pesquisa, concluído em 24 de novembro. Na ocasião, 62% dos paraenses eram contra a criação do Carajás, e 61% rejeitavam a criação do Tapajós.

A margem de erro fica entre três pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi encomendada em uma parceria entre Folha, TV Liberal e TV Tapajós (afiliadas da Rede Globo no Pará). O Datafolha ouviu 1.213 eleitores em 53 municípios do Pará nos dias 6, 7 e 8 deste mês. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número 52.641/2011.

Neste domingo, os eleitores paraenses votarão em plebiscito sobre a divisão do Estado, o que levaria à criação de mais duas unidades federativas.

O percentual de eleitores favoráveis aos dois novos Estados permaneceu no mesmo patamar, dentro da margem de erro: 31% são a favor do Carajás e 32% são a favor do Tapajós.

A diferença é que diminuiu a quantidade de eleitores indecisos, ao mesmo tempo em que cresceram as intenções de votos contra a divisão. No primeiro Datafolha sobre o plebiscito, realizado entre os dias 7 e 10 de novembro, 58% eram contra o Carajás e contra o Tapajós.

Houve um acréscimo na rejeição de oito pontos percentuais para o Carajás e sete pontos percentuais para o Tapajós. Os indecisos agora são 4%.

O Datafolha ressalta que a pesquisa reflete a opinião dos eleitores nessa última semana de campanha e não pode ser analisada como uma previsão exata do resultado. Alguns fatores podem interferir, como o desconhecimento dos eleitores sobre os números da opção escolhida, a abstenção e os desdobramentos da campanha nos dias finais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário