Início Fotos Orkut TV Blog Fale Conosco Cadastre-se

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Atentados contra Instituições e Igrejas matam 69 pessoas na Nigéria.



Ao menos 69 pessoas morreram em ataques coordenados realizados nesta ultima sexta-feira (4/11/2011), contra delegacias de polícia e igrejas na cidade de Damaturu, no nordeste da Nigéria. Os atentados foram reivindicados pela seita islâmica Boko Haram.

Fontes locais relataram que outras centenas de pessoas ficaram feridas quando os terroristas atacaram a sede da polícia, assim como três delegacias e seis igrejas, todas em Damaturu. Os ataques ocorreram entre a tarde e a noite de ontem. Moradores do município tiveram que deixar as suas residências.

Um dos ataques foi cometido por um suicida, que lançou seu veículo cheio de explosivos contra um prédio da polícia. "Foi um ataque suicida com bomba contra um de nossos imóveis. O agressor veio a bordo de um carro e entrou no imóvel, e os explosivos foram detonados", disse por telefone o chefe da polícia do estado de Yobe, Suleimon Lawal.

Um membro da seita islâmica Boko Haram reivindicou o ataque. Essa seita, cujo nome significa "a educação ocidental é um pecado", opera no norte do país majoritariamente muçulmano, mas com algumas comunidades cristãs.

A Boko Haram também reivindicou o ataque com explosivos do dia 26 de agosto contra a sede das Nações Unidas na capital Abuja, que deixou 24 mortos.

"Somos responsáveis pelos ataques em Borno [Estado cuja capital é Maiduguri] e Damaturu", afirmou por telefone à agência France Presse um membro da seita, Abul Qaqa. "Vamos seguir atacando alvos do governo federal enquanto as forças de segurança continuarem perseguindo nossos membros e civis vulneráveis", acrescentou o integrante da Boko Haram.

Até o momento não se sabe se este ataque era dirigido contra o quartel-general da polícia ou contra as delegacias. A polícia está em alerta máximo em todo o território. O nordeste da Nigéria, país mais povoado da África com mais de 160 milhões de habitantes, costuma ser alvo de ataques perpetrados por combatentes da seita. Já o norte da Nigéria é povoado sobretudo por muçulmanos que coexistem com uma minoria de cristãos, majoritários, por sua vez, no sul.

Numero de Mortos em atentados sobe para 150 neste domingo - O número de mortos em decorrência dos atentados cometidos na sexta-feira pelo grupo islâmico radical Boko Haram no norte da Nigéria aumentou para 150, informou neste domingo a Agência Nacional de Gestão de Emergências do país (Nema, na sigla em inglês).

Um porta-voz da agência, que pediu anonimato, indicou que o número de corpos contabilizados chega a 150, o que quase triplica a quantidade divulgada no sábado por Suleimon Lawal, comissário da Polícia do estado de Yobe --onde foram realizados os piores ataques.

O presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, determinou às agências de segurança do país que redobrem esforços para capturar os terroristas, que fizeram ataques coordenados nas cidades de Maiduguri, Damaturu e Kaduna na sexta-feira e sábado.

Em comunicado divulgado no sábado, o porta-voz da Presidência, Reuben Abati, disse que, para Jonathan, qualquer um que tenha cometido este tipo de ataque "foge da mensagem de paz e amor que envolve o Eid al Adha" (festividade islâmica que marca o fim da peregrinação do hajj).

Um oficial de alta patente da polícia de Damaturu, onde aconteceu um dos ataques mais sangrentos, afirmou neste domingo à Agência Efe que ninguém tinha sido preso até o momento.

O grupo radical Boko Haram assumiu a autoria dos ataques e prometeu mais atentados contra as instituições federais "até que as forças de segurança acabem com os excessos contra nossos membros e contra os civis vulneráveis", destaca o jornal independente "Leadership".

O mesmo policial de Damaturu disse que o Conselho Supremo de Assuntos Islâmicos (SCIA, na sigla em inglês) condenou os ataques e descartou que os terroristas sejam muçulmanos, "ou não teriam atentado em um mês sagrado e na véspera do Eid al Adha".

"Se são muçulmanos, que tipo de islã praticam? Nenhum muçulmano ajuizado teria feito isso. Se você luta por Deus, primeiro deve obedecê-lo e cumprir seus mandamentos. O mês sagrado deve ser sagrado", declarou um membro da SCIA, que não quis se identificar.

O Boko Haram, cujo nome significa "a educação não islâmica é um pecado", luta para impor a Lei Islâmica (Sharia) na Nigéria, país de maioria muçulmana no norte e cristã no sul. O grupo, que já admitiu vínculos com a rede terrorista Al Qaeda, assumiu a autoria de vários ataques recentes no norte do país.

Papa pede fim de atentados e da violência - O papa Bento 16 fez neste domingo um apelo ao fim da violência na Nigéria, onde o número de vítimas dos atentados cometidos na sexta-feira pelo grupo islâmico radical Boko Haram já chega a 150.

O papa afirmou que acompanha com atenção o que ocorre na Nigéria. "[A violência] não resolve os problemas, só os faz crescer, semeando ódio e divisão também entre os crentes".

Na última sexta-feira, vários atentados e ataques atingiram três cidades do norte da Nigéria. A autoria deles foi assumida pelo grupo Boko Haram, vinculado à rede terrorista Al Qaeda.

Um desses atentados foi cometido na cidade de Kaduna, quando homens armados atacaram fiéis cristãos que se dirigiam a uma vigília em uma igreja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário