Início Fotos Orkut TV Blog Fale Conosco Cadastre-se

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Biologia : Saiba mais como a disciplina será cobrada no ENEM 2011.



A parte de Ciências Exatas do Enem é composta por três disciplinas: uma delas é a de Biologia, que não requer tanta habilidade com os cálculos como as outras duas (Química e, principalmente, Física), mas, nem por isso, deve causar menos preocupação ao candidato.

O programa do Enem abarca boa parte dos tópicos que normalmente são ensinados nas escolas de ensino médio. Porém, como são 45 questões para trabalhar conhecimentos de três disciplinas, o número de temas da matéria cobrados, em geral, não é muito grande, segundo o professor José Luiz Drummond, coordenador de ensino médio de Biologia da Rede Ponto de Ensino (Pensi). Por isso, afirma o especialista, a tendência é de que o grau de dificuldade da prova não seja muito alto. "Por ser o conteúdo extenso e o número de questões reduzido, são poucos os temas realmente cobrados na prova. Eu diria que, por esta, entre outras razões, o grau de dificuldade, é de médio para baixo", destacou.

Por ser uma prova que avalia sobretudo competências, é importante o candidato, ao direcionar seus estudos, ter noção do que é valorizado pela prova. De acordo com o professor Drummond, as mais importantes são as que exigem do aluno a real compreensão da biosfera e de todos os problemas que envolvem a manutenção da vida na terra, como a necessidade de se manter a diversidade, o equilíbrio entre os fatores químicos e físicos que comandam os ecossistemas. Saber interpretar informações gráficas também costuma ser importante, segundo o professor.

"Os gráficos têm sido utilizados como meio para as interpretações de variáveis ambientais. Quanto às competências, o Enem requer do aluno a capacidade de identificar, interpretar e selecionar dados que permitam a ele formar uma opinião concreta sobre situações cotidianas naturais. É uma prova extremamente interpretativa, onde o aluno precisa ter capacidade de selecionar argumentações consistentes nas respostas", destacou o especialista.

A poucas semanas da realização do exame, é natural que os candidatos comecem a pensar em formas de otimizar sua preparação. Para os que já conseguiram passar por quase todo o programas, o momento é de selecionar os itens que farão parte da etapa de revisão. Já para quem não está tão adiantado na estratégia de estudos, talvez seja o caso de verificar quais assuntos priorizar nesta reta final.

Como o Enem busca avaliar habilidades básicas, pode não valer a pena focar em pontos mais complexos do programa, que têm um perfil mais identificado com questões discursivas e específicas dos vestibulares tradicionais. O professor José Luiz Drummond dá algumas sugestões.

"O ideal é sempre que todo o conteúdo seja visto pelo aluno. Se não for possível, acho que o ele deve se concentrar mais nas questões ambientalistas, sociais, econômicas e naturais que envolvem a vida, deixando tópicos como metabolismo, bioquímica, fisiologia vegetal, que não aparecem como foco nas provas anteriores, como foco secundário."

Por buscar conteúdos relacionados ao cotidiano do aluno, tópicos relacionados às atualidades em ciências e os conteúdos básicos da Biologia tendem a ser mais cobrados, segundo o professor Rubens Akeshi Macedo Oda, do Sistema Elite de Ensino. "Assuntos relacionados aos eixos temáticos meio ambiente, saúde e evolução estão sempre presentes", comentou o professor, destacando que o aluno não deve prender-se a conteúdos específicos e, sim, buscar entender a Biologia de forma ampla.

"Atualmente mais do que a interdisciplinaridade o aluno deve buscar a "intra-disciplinaridade", ou seja, entender como uma mudança ecológica pode gerar alterações fisiológicas e celulares nos indivíduos, bem como influenciar no seu processo evolutivo através da modificação do seu processo de seleção natural. Diferentemente da sala de aula onde os conteúdos são transmitidos de maneira compartimentalizada, o Enem busca cobrar a Biologia de forma ampla e correlacionada", salientou.

Akeshi citou alguns exemplos de como isto pode ser feito, na prática. Segundo ele, temas como desequilíbrio ecológico e ciclos biogeoquímicos estão sempre presentes. Porém, mais importante do que decorar as etapas, é entender o comportamento da energia nos ecossistemas e nos seres vivos. Com relação a doenças, é interessante pesquisar sobre as principais que existem e suas medidas profiláticas e de controle. "Entenda que todas as espécies modificam-se através do tempo através do acúmulo de mutações e da seleção natural diferenciada", completa.

Os tópicos de Biologia não devem ser preocupação só na área de Exatas. Como o exame é interdisciplinar, conteúdos da disciplina podem ser abordados em outras áreas da avaliação. A questão ambiental, por exemplo, é um dos pontos que têm boas chances de ser exigida também fora da parte de Exatas. Outros assuntos possíveis de serem abordados em outras áreas, de acordo com ele, são a relação dos Biomas com a expansão agropecuária nas regiões Centro-Oeste e Norte, o desenvolvimento sustentável e o reaproveitamento dos recursos naturais, a geração de energia através de hidrelétricas (como a de Belomonte) e o funcionamento de usinas termelétricas e nucleares.

"Textos sobre bioética, implicações da clonagem e uso de células-tronco podem também estar presentes nas demais disciplinas. Cálculos envolvendo valor calórico dos alimentos, índice de massa corpórea (IMC), crescimento populacional, dentre outros, acabam levando temas de Biologia para as páginas de ciências matemáticas", comenta Akeshi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário