Início Fotos Orkut TV Blog Fale Conosco Cadastre-se

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

A Suécia que a Globo Não Mostra - Governo diz que ódio a africanos e imigrantes chegou a um nível alarmante no País.





Contrariando a reportagem exibida no programa "Globo Repórter" aonde "tudo são flores" no País Escandinavo , um relatório divulgado na  ultima segunda-feira (3/12/2014 ) pelo próprio governo sueco chama a atenção e apresenta um cenário preocupante para as pessoas de origem africana no País. 

Segundo a publicação, a “afrofobia” contribui claramente para tornar os afrodescendentes mais vulneráveis do que outros grupos, em termos de discriminação e crimes de ódio na Suécia. O relatório define a afrofobia como “a hostilidade para com as pessoas de raízes da África subsaariana”. 

No País Escandinavo, a "afrofobia" se manifesta principalmente em agressões verbais, bloqueios de espaços sociais, ataques físicos e na discriminação, incluindo emprego, habitação e na educação. No mesmo estudo, há uma categoria chamada “afro-suecos” que inclui todos os residentes de ascendência africana. O número desse grupo é de cerca de 180 mil pessoas, dos quais 90% têm origem na África subsaariana. O restante é do Norte da África, América do Sul e outros países. Destes 180 mil, 40% são de nativos com um ou dois pais oriundos da África subsaariana. O grupo também inclui muitas pessoas adotadas. 

O preconceito em números  - Desde 2008, o crime de ódio xenófobo em geral diminuiu 6% no país, mas o percentual dos crimes de ódio afrofóbicos aumentou em 24%. Uma alta proporção desta violência, especialmente a violência física, realiza-se em locais públicos, como escolas, locais de trabalho, bairros, lojas e restaurantes. O espaço público é, portanto, um lugar intimidante para muitos afro-suecos, limitando sua liberdade de ação e movimento, segundo o documento do governo. A atual taxa de desemprego da Suécia é superior a 7%, considerada alta para os padrões do país, e esse número é ainda maior entre os afro-suecos, chegando a 21%. É comum identificar traços de afrofobia, especialmente quando o assunto é conseguir um emprego. 

O mesmo relatório afirma que é quatro vezes mais difícil para um afrodescendente ser chamado para uma entrevista de trabalho. A pesquisa também indicou que a falta de confiança na polícia e no judiciário desmotiva o registro de ocorrências entre os mais discriminados. Em um estudo de 2008, em que 500 afro-suecos foram incluídos, 68% responderam que não há nenhuma razão para informar às autoridades policiais e à Justiça sobre as agressões. 

Além disso, também na educação considerada "modelo", há uma forte carga de preconceito, mesmo para os descendentes africanos que têm formação universitária na Suécia. Apenas 32% dos homens com ensino superior e 40% das mulheres nascidas na África têm uma profissão que corresponda às suas habilidades acadêmicas. Pessoas nascidas na África também representam a maioria entre os 10% com a menor renda. O daltonismo sueco que afirma que “a raça não importa” agrava a situação para os descendentes africanos, pois isso impede que as principais vítimas sejam capazes de colocar em palavras suas experiências de racismo, vivenciadas todos os dias. 

Suécia e a escravidão - Outro obstáculo para a compreensão da afrofobia na Suécia é a crença local de que o preconceito racial não existe, já que o país não participou historicamente do colonialismo. Na realidade, a Suécia desempenhou, a partir de 1600, um papel ativo no comércio de africanos escravizados. A escravidão na colônia sueca de Saint-Barthélemy (São Bartolomeu, no Caribe) durou até 1847. 

A Suécia também participou da controversa divisão do continente africano ao participar do Congresso de Berlim, em 1884 e 1885. 

Nos intermináveis debates promovidos pelos órgãos de imprensa suecos, algumas sugestões foram apresentadas como “ferramentas” para o combate à afrofobia. Entre as mais sugeridas, uma delas chama a atenção: o estabelecimento de cotas raciais. Muitos suecos chegam a citar o exemplo do Brasil como “uma prática de discriminação positiva por meio das nomeações para as autoridades, como uma forma de neutralizar a marginalização dos afro-suecos na sociedade sueca”.

O relatório, sobretudo em ano eleitoral, expõe à vergonha um percentual de suecos que apoiam o partido SD (Svergedemokraterna), que não consegue disfarçar a ideologia carregada de preconceito e discriminação contra imigrantes, negros ou não. O SD chegou ao parlamento com 5,7% dos votos válidos, e hoje, menos de quatro anos depois, já possui praticamente o dobro deste percentual, segundo pesquisas divulgadas pelos jornais do país no último fim de semana. 

Em Malmö, cidade ao Sul da Suécia com forte presença de imigrantes, foi iniciado um trabalho entre professores para produzir uma nova biblioteca infantil. A biblioteca, entre outras iniciativas, irá trabalhar com personagens de livros infantis não estereotipadas. 

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Jovens de Duque de Caxias se preparam para realizar intercâmbio esportivo escolar em Cuba.



Cuba possui cerca de 11 milhões de habitantes e se orgulha de ser uma referência no esporte olímpico. Das escolas e universidades surgiram nomes, como, o saltador Javier Sotomayor e o boxeador Teófilo Stevenson. Uma iniciativa da Prefeitura Municipal de Duque de Caxias permitirá que uma delegação de jovens do município formada por 12 pessoas, tenha no mês de setembro, a oportunidade de acompanhar de perto com visitas, reuniões e capacitações, os caminhos que levaram o pequeno país da América Central, com a mesma população do Estado do Rio de Janeiro, ter em sua história 208 medalhas olímpicas, contra 108 do Brasil. 

 O intercâmbio terá como meta o conhecimento técnico e a assimilação da experiência cubana nas áreas de educação física escolar, esporte e lazer, com vistas à celebração de convênio entre o município e Cuba, objetivando através de uma parceria com o Instituto Nacional de Educação Física, Esporte e Lazer de Cuba (INDER), o desenvolvimento sustentável da cultura física do município. 

A delegação será formada por profissionais das áreas do esporte, educação, Coordenadoria Municipal da Juventude (CJUV) e da Fundação para o Desenvolvimento Tecnológico de Políticas Sociais (FUNDEC). Estão confirmados no intercâmbio: os subsecretários de Educação, Moisés da Amora e Daniela Pereira da Silva, o subsecretário de Esporte e Lazer, Juarez Silva dos Santos e Paulo Renato Gonçalves, atleta do caratê que representará os desportistas de Caxias. Haverá ainda a parceria com a Universidade Unigranrio, que terá na delegação o diretor da unidade de Santa Cruz da Serra, Hermenegildo Ramim e o presidente do diretório central estudantil, Felipe Magalhães 

- “A ideia é firmamos um convênio de cooperação técnica esportiva e educacional identificando um diagnóstico de diretrizes a serem implementados. O esporte cubano é um dos mais respeitado no mundo, eles conquistaram mais ouro em Olimpíadas que todos os países da América do Sul”, disse o coordenador municipal de projetos especiais em Educação Física, Esporte e Lazer, Alex Simões Cardoso, com licenciatura em duas universidades cubanas, que estará chefiando a delegação em solo cubano, além de acumular seis anos de moradia em Havana. 

No dia 18/08/2014 ocorreu na prefeitura o terceiro encontro técnico para traçar os objetivos específicos do intercâmbio. 

A professora de Ciência Social e Política, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Zuleide Faria de Melo, presidente da Associação Cultural José Martí, fez um relato das peculiaridades culturais de Cuba, relembrando momentos marcantes do país, como, a Revolução dos anos 60 e a conquista como o primeiro país do continente americano livre do analfabetismo, demonstrando o trabalho educacional que se estende ao esporte.

 - “O socialismo abre a possibilidade para que todos sejam iguais, mas também para que todos sejam diferentes. Que todos tenham acesso ao básico para que desenvolvam suas potencialidades. O país manteve vigente sua solidariedade, a Ilha Caribenha acolheu muitos brasileiros perseguidos políticos e seus familiares”, disse Zuleide, que abordou ainda os conceitos de democracia e direitos humanos. 

Todos estes encontros que precedem a viagem contam com a participação da secretária municipal de Ações Institucionais e Comunicação, Tatyane Lima, e o secretário de Planejamento, Urbanismo e Habitação, Luiz Edmundo da Costa Leite.

Ministério da Saúde inicia segunda etapa da vacinação contra o vírus HPV.


A segunda dose da vacina conta o vírus HPV, que protege contra o câncer do colo de útero, começa a ser aplicada em meninas de 11 a 13 anos, a partir da próxima segunda-feira (1º/9) em todo o Brasil. A aplicação da segunda dose, seis meses após a primeira, é fundamental para garantir a imunização contra o HPV até que receba a dose de reforço, em cinco anos. 

Com o esquema vacinal completo, a adolescente garantirá a proteção contra o câncer de colo do útero, terceiro tumor mais frequente na população feminina, atrás do câncer de mama e do colorretal, e a terceira causa de morte de mulheres por câncer no Brasil. O Ministério da Saúde passou a ofertar a vacina no Sistema Único de Saúde (SUS) em 10 de março. Em apenas seis meses, 4,3 milhões de meninas nessa faixa-etária já foram vacinadas, atingindo 87,3% do público-alvo - uma das maiores coberturas para essa vacina em todo o mundo. A meta do Ministério da Saúde é vacinar 80% das 4,9 milhões de meninas de 11 a 13 anos residentes no país.

De acordo com o ministro da Saúde, Arthur Chioro, todos os estados conseguiram atingir a meta de cobertura vacinal da primeira dose da vacina.

- “Estamos lidando com efeito de saúde pública de grande magnitude. As estimativas para este ano é de que ocorram 15 mil novos casos de câncer do colo de útero e cerca de 4,8 mil óbitos. No entanto, a combinação do sucesso na expansão da imunização contra o vírus do HPV, com a forte mobilização dos estados, municípios, escolas públicas e privadas, e dos meios de comunicação, juntamente com a ampliação da estratégia do Papanicolau nas Unidades Básicas de Saúde, conseguiremos reduzir significativamente esse tipo de câncer nos próximos anos no país”, afirmou o ministro. 

A vacinação nas escolas foi o diferencial para o alcance da meta nacional. Por isso, o Ministério da Saúde recomenda aos municípios repetir a estratégia para a aplicação da segunda dose. Para quem preferir ir ao serviço de saúde, a vacina está disponível, durante todo o ano, nas mais de 36 mil salas de vacinação espalhadas pelo Brasil. 

 O secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa, informa que “a vacina contra o HPV tem eficácia comprovada e utilizada em mais de 50 países. Há ainda mais cerca de 150 países querendo disponibilizar a vacina, porém, não disponibilizam de recursos em seus sistemas de saúde”. Ele alertou para o fato de que “sem a segunda dose, não há proteção, e que as meninas que ainda não tomaram a primeira dose, podem procurar os postos de vacinação, pois não se trata de uma campanha, e sim, de uma nova vacina que passou a incorporar o calendário de imunização do sistema público de saúde”, disse Jarbas.

A vacina também está disponível para aquelas que ainda não tomaram a primeira dose. Para receber a segunda dose da vacina HPV, basta apresentar o cartão de vacinação ou documento de identificação na unidade de saúde. Cada adolescente deverá tomar três doses para completar a proteção, sendo que a segunda, seis meses depois da primeira, e a terceira, de reforço, cinco anos após a primeira dose. Neste ano, serão vacinadas as adolescentes do primeiro grupo (11 a 13 anos). Em 2015, a vacina passa a ser oferecida para as adolescentes de 9 a 11 anos e, em 2016, às meninas de 9 anos.

 Para o primeiro ano de vacinação, o Ministério da Saúde adquiriu 15 milhões de doses. O SUS oferece a vacina quadrivalente, que confere proteção contra quatro subtipos (6, 11, 16 e 18), com 98% de eficácia. Os subtipos 16 e 18 são responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer de colo do útero em todo mundo e os subtipos 6 e 11 por 90% das verrugas anogenitais. Além de adquirir as doses para a vacinação, o Ministério da Saúde firmou uma Parceria para o Desenvolvimento Produtivo (PDP) com o Butantan e o laboratório Merck para a produção da nacional da vacina. Serão investidos R$ 1,1 bilhão na compra de 36 milhões de doses da vacina durante cinco anos – período necessário para a total transferência de tecnologia ao laboratório brasileiro. A PDP possibilitou uma economia estimada de US$ 19,7 milhões na compra da vacina em 2014. O Ministério da Saúde pagará R$ 31,02 por dose, o menor preço já praticado no mercado.

A partir de 1º de setembro, a campanha publicitária vai orientar os responsáveis sobre a importância da vacina HPV e a ficarem atentos ao período de vacinação nas escolas das filhas ou procurar uma unidade de saúde. Com tema “Cada menina é de um jeito, mas todas precisam de proteção”, as peças serão veiculadas por meio de cartazes, spot de rádio, filme para TV, anúncio em revistas, outdoors e campanhas na internet. Nas redes sociais, a campanha ganhará reforço de jovens famosas, como a atriz Klara Castanho (Paulinha de Amor à Vida), de 13 anos, e a atriz, apresentadora e cantora Maisa Silva, de 12 anos. Para aproveitar o sucesso conquistado junto ao público-alvo da campanha - meninas de 11 a 13 anos –, além da grande popularidade nas redes sociais, as atrizes irão gravar voluntariamente vídeos e postar mensagens, convidando as meninas de todo o país para tomar a segunda dose da vacina.

 O material cedido pelas atrizes teens será utilizado nas páginas oficiais do órgão nas redes sociais. As atrizes Giulia Garcia (Ana das Chiquititas), de 11 anos, e Julia Gomes (Mirian das Chiquititas), de 12 anos, também integram o time de voluntárias. Juntas, elas reúnem 485,6 mil curtidas no Facebook, 656 mil seguidores no Instagram e 264 mil no Twitter.

A vacina contra HPV tem eficácia comprovada para proteger mulheres que ainda não iniciaram a vida sexual e, por isso, não tiveram nenhum contato com o vírus. Hoje, ela é utilizada como estratégia de saúde pública em 51 países, por meio de programas nacionais de imunização.

Estimativas indicam que, até 2013, foram distribuídas cerca de 175 milhões de doses da vacina em todo o mundo. A sua segurança é reforçada pelo Conselho Consultivo Global sobre Segurança de Vacinas da Organização Mundial de Saúde (OMS). 

Tomar a vacina na adolescência é o primeiro de uma série de cuidados que a mulher deve adotar para a prevenção do HPV e do câncer do colo do útero. No entanto, ela não substitui a realização do exame preventivo e nem o uso do preservativo nas relações sexuais.

O Ministério da Saúde orienta que mulheres na faixa etária dos 25 aos 64 anos façam o exame preventivo, o Papanicolau, a cada três anos, após dois exames anuais consecutivos negativos.

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

- "De Marina Silva eu quero distância"! Afirma coordenador da campanha de Campos.


O secretário-geral do PSB e coordenador da campanha de Eduardo Campos à Presidência da República, Carlos Siqueira, deixou nesta quinta-feira, a função. A indicação de Marina Silva para liderar a chapa não agradou ao político identificado com o partido. — Da senhora Marina Silva eu quero distância. Eu não participo de campanha de Marina Silva. Ela não é do PSB — disse. 

 Ainda na quarta-feira, havia sido anunciado que Siqueira permaneceria na função, mas que teria ao seu lado o deputado licenciado Walter Feldman (SP), também porta-voz do partido. Bazileu Margarido, homem de confiança de Marina, que era adjunto de Siqueira durante a campanha de Eduardo Campos, foi transferido para o comitê financeiro da campanha. Bazileu vai dividir a tarefa com Dalvino Franca.Presidente da Fundação João Mangabeira, do PSB, Siqueira disse que continuará no partido. Ele afirmou que se rende à decisão da maioria, responsável por garantir o apoio a candidatura de Marina, porque é disciplinado. O secretário-geral do partido prefere não dar detalhes sobre essa decisão, porque seriam “detalhes desagradáveis”. 

 Nesta manhã, o presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, se reuniu com dirigentes de partidos que compõem a coligação. Amaral ainda não comentou a saída de Siqueira.

O novo coordenador de campanha indicado pela candidata presidencial Marina Silva, Walter Feldman, disse na manhã desta quinta-feira que ainda espera pela participação de Carlos Siqueira na campanha presidencial. Em mensagem de texto, ele afirmou: - “Temos esperança”. 

 Pouco antes, Feldman havia dito que todos, inclusive ele, Marina e o grupo da Rede Sustentabilidade esperavam que o secretário-geral do PSB voltasse ao posto de coordenação. — Ela (Marina) quer o Carlos, mas não pode impor essa condição ao PSB — disse Feldman. Feldman classificou como um desentendimento sobre quem deveria indicar a coordenação-geral de campanha. — Para nós, a indicação do cargo é do PSB. 

Carlos Siqueira ficou chateado porque ele achava que era da Marina. Estava tudo certinho, foi apenas uma questão de neurolinguística — explicou. Sobre possíveis atritos entre Rede e PSB, além dos demais partidos da coligação PPS, PPL, PRP, PHS e PSL, Feldman disse que houve conflitos naturais, dada a situação extraordinária de recomposição da chapa após a morte trágica de Eduardo Campos. — O pessoal ficou nervoso, mas nós vivemos um furacão, é natural — contou.

Pesquisadores da UFRJ identificam nova correlação entre depressão e mal de alzheimer


Um grupo de pesquisadores brasileiros, liderados por Sérgio Ferreira e Fernanda De Felice, da UFRJ, comprovou pela primeira vez que uma toxina conhecida como" oligomeros de Abeta", que se apresenta em concentrações mais elevadas nos cérebros de pacientes acometidos pela doença de Alzheimer também está ligada ao mecanismo que leva à depressão. 

Segundo o pesquisador Sérgio Ferreira, “sabia-se de estudos prévios de vários grupos de pesquisas, inclusive o nosso grupo da UFRJ, que os oligomeros estão envolvidos nas alterações do funcionamento dos neurônios no Alzheimer, mas nunca se havia pensado que pudessem também estar envolvidos na depressão que ocorre nos pacientes Alzheimer”.

Para testar a hipótese, o grupo da UFRJ injetou oligomeros de Abeta no cérebro de cerca de 100 camundongos e os avaliou 24 horas e oito dias depois em testes que permitem detectar comportamento de tipo depressivo nos animais. Os resultados mostraram que animais injetados com oligomeros de Abeta de forma intra cerebral apresentaram , além de perda de memória, também alterações compatíveis com comportamento depressivo em testes conhecidos como nado forçado, suspensão pela cauda e preferência pela sacarose, que são utilizados de maneira clássica para avaliar sintomas de depressão em roedores. 

Todos os experimentos foram reproduzidos entre três e seis vezes. A depressão é um dos sintomas psiquiátricos mais comuns na doença de Alzheimer e evidências fortes indicam que a depressão aumenta o risco de desenvolvimento do Alzheimer. 

Até antes da pesquisa, no entanto, os mecanismos que explicam essa associação clínica entre ambas as doenças não eram conhecidos. 

Os pesquisadores também identificaram que um anti-depressivo, a fluoxetina, usado na clínica para o tratamento de depressão, foi capaz de evitar tanto os sintomas dessa doença quanto a perda de memória nos animais injetados com oligomeros de Abeta. Porém, é importante ressaltar que, até o momento, não existe tratamento que realmente funcione para o Alzheimer. 

 Estes resultados mostraram, portanto, que os oligomeros Abeta foram capazes de provocar tanto alterações de memória quanto de humor nos animais, fornecendo uma explicação para a associação clínica entre as duas doenças. Além disto, os achados sugerem que terapias direcionadas contra os oligomeros podem ser efetivas tanto para minimizar os transtornos de humor quanto a perda cognitiva e de memória na doença de Alzheimer. 

 Nessa diretriz, segundo Ferreira, o grupo da UFRJ, que envolve o Instituto de Bioquímica Médica e a Faculdade de Farmácia, pretende ainda avaliar se o tratamento com fluoxetina ou outros anti-depressivos poderia ser benéfico também em um camundongo transgênico – modelo para a doença de Alzheimer; entender melhor os mecanismos pelos quais a fluoxetina tem seu efeito benéfico, pois existem várias hipóteses para explicar os mecanismos da substância na depressão; e investigar os possíveis efeitos dos oligomeros na apatia, que é clinicamente diferente da depressão, mas que, junto com esta são as principais co-morbidados na fase inicial do Alzheimer.

Escola de Saúde Pública da FIOCRUZ comemora 60 anos com programação especial aberta ao público.



No dia 3 de setembro, a Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca da Fundação Oswaldo Cruz (Ensp/Fiocruz) completará 60 anos de existência. Para comemorar a data, a Escola promoverá, entre os dias 3 a 5 de setembro, uma série de mesas redondas, palestras, rodas de conversas e painéis temáticos que buscam promover reflexões sobre as melhorias nas condições de saúde, trabalho e vida da população brasileira. 

Com o tema Saúde, educação, ciência e cidadania, nossa luta de todo dia, as atividades começam com o painel Período 1954-1969 (do suicídio de Vargas à "eleição" de Médici) – Do nascimento à violação. 

A tarde, o Fórum de estudantes da Ensp/Fiocruz promove a mesa redonda Criminalização de movimentos sociais: estado democrático de direito para quem? O dia 4 de setembro começa com o painel Período 1970-1979 (De Médici à anistia) - Do esvaziamento à retomada, seguido pela mesa redonda A crise atual do capitalismo e o impacto sobre a saúde e o SUS. 

No terceiro e último dia de atividades, acontecerá uma roda de conversa com alunos e ex-diretores com o tema A história da ENSP contada em verso e prosa, junto com o lançamento do vídeo ENSP: uma história de cidadania. 

Neste dia, dois eventos programados para a tarde completam as comemorações de aniversário, a palestra Desafios da gestão pública numa instituição de ensino, pesquisa e inovação em saúde pública e a ja tradicional formatura dos alunos de mestrado e doutorado da Escola. 

 Maiores informações sobre a programação no site :http://www.ensp.fiocruz.br/portal-ensp/60anos/

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Nos EUA , Governo do Estado do Mussouri convoca guarda nacional para reprimir protestos em Ferguson contra assasinato de jovem negro.


O governador do Estado do Missouri nos EUA, Jay Nixon mobilizou a Guarda Nacional para conter diversos protestos , após a morte do jovem negro Michael Brown-young na cidade de Ferguson, pelas mãos de um policial branco, como revelado em um exame de autópsia preliminar  cujo resultado foi divulgado segunda-feira (ontem 19/08/2014), que indica que Brow foi baleado pelo menos seis vezes, segundo disseram fontes a agência de noticias "EFE". 

 A ordem executiva para convocar a Guarda assinada pelo governador, diz que a medida visa "restabelecer a paz e a ordem" e "proteger os cidadãos de Ferguson", disse à EFE. Na noite de domingo, após o toque de recolher imposto no fim de semana , a polícia usou gás lacrimogêneo contra o protesto, que começou de forma pacífica, enquanto centenas de pessoas marcharam até a delegacia com gritos de "Mãos para cima. Não atire ", exigindo justiça para Brown. 

A manifestação terminou sete detidos e dois civis feridos por tiros, segundo o chefe da Patrulha Road, aos gritos de "polícia não prossiga", acrescentou EFE. O jovem Michael Brown, 18 anos, foi baleado em 09 de agosto por um policial branco identificado como Darren Wilson. O relatório preliminar da autópsia que foi encomendado pela família de Brown, o legista-chefe da cidade de Nova York, Michael M. Baden disse que o jovem recebeu "pelo menos seis tiros,sendo dois deles na cabeça '.

 -"Os tiros na cabeça foram, provavelmente, a última feita em Michael Brown", disse Baden em uma conferência coletiva a imprensa em Fegurson, acompanhado por advogados da família de Brown, que indicou que a autópsia já dá evidência suficiente para ser preso o polícial que atirou nele.

Baden disse que os tiros "não foram a uma curta distância" e que havia "evidências de luta" no corpo de Brown, como indica a versão da polícia, apontando para o jovem investiu contra o policial e que este tinha de ser tratado ferimentos após o incidente. Os pais de Brown exigiram "que o policial que atirou nele seja preso", disse o advogado Benjamin Crump, em conferência de imprensa, ele disse PL. 

 O Titular da US Attorney General Eric ordenou pessoal médico federal para executar no corpo do jovem uma segunda autópsia "por causa das circunstâncias extraordinárias que cercam o caso a pedido da família Brown. " Tal como acontece em guerras e conflitos internacionais, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu "a todos para praticar forças de moderação e de segurança a respeitar as normas americanas e internacionais em lidar com manifestantes ", disse. 

- "O Secretário-Geral apela às autoridades para garantir que os direitos de reunião pacífica e à liberdade de expressão são protegidos", afirmou Stephane Dujarric, porta-voz de Ban, em meio a tensões raciais em Ferguson.

Veja o programa de estreia da campanha de Dilma exibido na TV

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Polêmica : Marina Silva fala em "providência divina" por não ter embarcado em avião com Campos.



A ex senadora Marina Silva falou em " providência divina" sobre não ter embarcado no avião que acabou causando a tragédia que vitimou fatalmente o então candidato a presidência pelo PSB Eduardo Campos, ex governador do estado de Pernambuco.


- “Penso que existe uma providência divina em relação a mim, ao Miguel, a Renata e ao Molina”, disse Marina a jornalistas, durante o voo que a levou de São Paulo para Recife para o funeral de Campos.Ela referia-se à mulher, ao filho e a um assessor do ex-governador de Pernambuco.



Sem confirmar sua candidatura à Presidência no lugar do ex-governador de Pernambuco, Marina afirmou ainda ter “senso de responsabilidade e compromisso com o que a perda de Eduardo nos impõe”.



O presidente do PSB, Roberto Amaral, bastante incomodado, garantiu que nada foi tratado acerca das eleições, e que ninguém tinha condições emocionais de tratar do tema.



 - “É muito chato ficar respondendo essas coisas. O Eduardo era nosso amigo e viemos aqui abraçar a Renata e a família. Todo o resto será discutido depois. Antes de quarta-feira, tudo o que for divulgado será especulação. Nós viemos aqui apenas nos despedir do nosso amigo”, frisou emocionado Roberto Amaral.



Renata Campos faz 47 anos hoje (18/08/2014) dia seria "de festa" - O dia seguinte ao enterro de Eduardo Campos seria de festa para Renata, que completa, nesta segunda-feira (18), 47 anos – os dois foram um casal durante mais de 34 destes. 


-"Ele foi o primeiro namorado dela e ela, a primeira namorada dele", declarou ao portal "iG" Marcos Arraes, tio de Campos e padrinho do casamento dos dois. 
Filha do médico Cyro de Andrade Lima e de Rejane de Andrade Lima, Renata estudou economia e entrou, via concurso, para o Tribunal de Contas de Pernambuco. Quando Campos assumiu o governo, em 2007, afastou-se do cargo, e aproveitou a condição de de primeira-dama – inclusive os holofotes que o guarda-roupa do cargo ganham – para promover a cultura local.
Peritos da FAB dizem que caixa preta não gravou dados do voo - Segundo apontam as primeiras investigações a caixa-preta do avião de Eduardo Campos não contém registros do voo que vitimou o candidato à presidência da República pelo PSB em acidente na quarta-feira (13) em Santos, no litoral paulista.
Como a  caixa-preta só registrava áudio, e não dados, a inexistência desse material significa que não há nenhum registro sobre o voo no equipamento.Entretanto, peritos da Força Aérea Brasileira (FAB) diz que as informações não são imprescindíveis para determinar as causas do acidente.

domingo, 3 de agosto de 2014

BLOG DO BLACK será REATIVADO

Em breve o BLOG DO BLACK estará retornado com novidades!!!